segunda-feira, 4 de maio de 2009

Sobre Outras Formas de Poesia

Reclamas
Que já há dez dias
Não te escrevo poemas de amor.

Então te olho com a complacência
Com que se olha para uma criança arteira que não compreende que está a fazer artes
E porque, de fato, és criança,
Te atento para o fato que há dez dias escrevo poemas em teu corpo
Faço de nosso amor uma forma de arte
E te me despejo em poemas
Pelos teus ouvidos em juras de amor eterno
Pela tua boca
Por tuas entranhas
Pelas entradas que se traduzem em bandeiras
Na bandeira deste amor que empunhamos pelos dias
No eterno desbravar de teu corpo
A cada manhã em que começamos o dia a fazer amor

Há dez dias,
Sem que saibas,
Também escreves lindos poemas sobre o corpo meu
Poetiza dessabida e talentosa que és,
Que vai do lírico ao concreto
Com total domínio das artes:
Da poesia
E do amor

Minha menina arteira
Poetiza mor de minha vida
Alegria de todos os meus dias
Dona de meu coração,
Mulher amada,
Mais que tudo por mim amada,
Minha Chele,
Meu amor.


Ton Neumann

Um comentário:

Vanilla Rosa Design disse...

Oi Ton,
Gostei muito das suas poesias...são densas,sensíveis.
Meu nome é Ró,sou amiga da Deia de Canoas, ela me passou seu blog.
Um gd abço
Eu, direto de uma Curitiba q. hoje não amanheceu, escura e fria!!!rsrrs

 
  • ArrudA
  • CeciLia